PEIXES (Chondrichthyes e Osteichthyes)

    Elaborei essa página como material didático de apoio para as aulas sobre peixes das disciplinas de Zoologia Geral (Engenharia Agronômica e Engenharia Florestal) e de Zoologia dos Cordados (Ciências Biológicas) objetivando apresentar a classificação e diversidade de peixes regionais (Alto Juruá - Acre). As fotografias apresentadas são de minha autoria (Paulo Sérgio Bernarde) e correspondem principalmente aos espécimes que são utilizados em aulas práticas de laboratório.

    São apresentados links para download de pdfs de publicações sobre peixes.

 

CLASSE CONDRICHTHYES (tubarões, arraias e quimeras)

    A maioria dos Peixes Cartilaginosos (Chondrichthyes) é marinha, tendo no Alto Juruá como representantes deste grupo as arraias ou raias.

 Ordem Myliobatiformes - Família Potamotrygonidae

                             Arraia (Vista dorsal)                                              Arraia (Vista ventral)

Arraia ou Raia.

        São peixes bentônicos, sendo predominantemente piscívoros. A Família Potamotrygonidae apresenta três gêneros (Potamotrygon, Paratrygon e Plesiotrygon) e é restrita ao ambiente de água doce na Região Neotropica, ocorrendo na maioria dos sistemas fluviais. Os olhos estão localizados dorsalmente, enquanto que a boca e as fendas branquiais estão localizadas na região ventral. Como os demais peixes cartilaginosos apresentam escamas placóides e a bexiga natatória está ausente. Apresentam um ferrão na região posterior do corpo e podem utilizar como mecanismo de defesa ocasionando envenenamento.

    Artigos sobre arraias:

    Trauma and envenoming caused by stingrays and other fish in a fishing community in Pontal do Paranapanema, state of São Paulo, Brazil: epidemiology, clinical aspects, and therapeutic and preventive measures (download).

    Registro de ocorrência de duas espécies de potamotrigonídeos na região do Alto Rio Paraná e algumas considerações sobre sua biologia (download).

    Arraias em rios da região Sudeste do Brasil: locais de ocorrência e impactos sobre a população (download).
    Considerações sobre a reprodução de duas espécies de raias Myliobatiformes, Potamotrygonidae) na região do Alto Rio Paraná, Sudeste do Brasil (download).
    The more stirring the better: cichlid fishes associate with foraging potamotrygonid rays (download).

    Stirring, charging, and picking: hunting tactics of potamotrygonid rays in the upper Paraná River (download).
 

 

CLASSE OSTEICHTHYES (Peixes Ósseos)
 

Ordem Osteoglossiformes (Pirarucu e Aruanã)

    São os peixes de língua óssea, sendo na Amazônia a ordem representada por duas espécies: Pirarucu (Arapaima gigas) e o Aruanã (Osteoglossum bicirrhosum). Carnívoros.

Pirarucu (Arapaima gigas)

Algumas publicações sobre o Pirarucu:

Mapeamento do habitat do Pirarucu (Arapaima gigas) a partir de dados de sensoriamento remoto integrados em SIG. Goiás (GO) - Brasil (download).

Potencial de criação de Pirarucu, Arapaima gigas, em cativeiro (download).

Cultivo do Pirarucu (Arapaima gigas) em viveiro escavado (download).

Manejo de Pirarucus (Arapaima gigas) em lagos de várzea de uso compartilhado entre pescadores urbanos e ribeirinhos (download).

Manejo comunitário do Pirarucu Arapaima gigas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Amazonas, Brasil (download).

Rendimento de carne de Pirarucu, Arapaima gigas (Cuvier) (download).

 


Ordem Clupeiformes (Sardinha e Sardinhão)


    Apresentam a boca voltada para cima ou terminal; Fileira de espinhos ou escudos na região mediana do ventre; Ausência da segunda nadadeira dorsal (adiposa); Sem sistema de linha lateral no corpo.

Algumas publicações sobre Clupeiformes na Amazônia:

Estrutura populacional e abundância do Apapá-Amarelo, Pellona castelnaeana (Valenciennes, 1847) (Clupeiformes, Pristigasteridae), na Reserva Extrativista do Rio Cautário, Rondônia (download).

Feeding of Pellona flavipinnis (Clupeiformes, Pristigasteridae)in a Central Amazonian floodplain (download).

A new species of Anchoviella Fowler, 1911 (Clupeiformes: Engraulidae) from the Amazon basin, Brazil (download).
 

Ordem Characiformes

   Matapiri, Madalena, Matrinxã, Tambaqui, Pacú, Tambaqui, Traíra, Jejú, Cachorra, Aracú, Piau, Branquinha, Piaba.

    Apresentam a boca em posição variável (Geralmente terminal); Ausência de espinhos na região ventral (Exceção de pacus e piranhas); Segunda nadadeira dorsal (adiposa) presente (Exceção de traíras e jejús); Escamas geralmente do tipo ciclóides por quase todo o corpo (exceto na cabeça);

Cachorra, Cachorrão ou Dentuça (Acestrorhynchus falcatus). Piscívoro.

 

Cachorra, Cachorrão ou Dentuça (Acestrorhynchus falcirostris). Piscívoro.

 

Cachorrão ou Cachorra (Raphiodon vulpinus). Piscívoro.

 

Pataca-do-cão ou Madalena (Roeboides sp.). Carnívoro.

 

Traíra (Hoplias sp.). Carnívoro.

 

Traíra (Hoplias sp.). Carnívoro.

 

Jiju ou Jeju (Erythrinus erythrinus). Onívoro.

 

Piranha (Serrasalmus sp). Carnívoro.

 

Piranha-caju ou vermelha (Pygocentrus nattereri) e conteúdos estomacais: restos de pássaro e de ortópteros (Insecta).

Alguns artigos sobre piranhas:

Piranha attacks in dammed streams used for human recreation in the State of São Paulo, Brazil (download).

Distribuição e alimentação de duas espécies simpátricas de piranhas Serrasalmus maculatus e Pygocentrus nattereri (Characidae, Serrasalminae) do rio Ibicuí, Rio Grande do Sul, Brasil (download).

Dieta da pirambeba Serrasalmus brandtii Reinhardt (Teleoistei, Characidae) em quatro lagoas marginais do rio São Francisco, Brasil (download).

 

Pacu (Mylossoma sp.). Onívoro.

Algumas publicações sobre Pacus:

A dieta das larvas de Mylossoma aureum e M. duriventre na Amazônia Central (download).

Distribuição das larvas de Mylossoma aureum e M. duriventre (Pisces: Serrasalmidae) nas margens do rio Solimões, AM (download).

 

Agulhão ou Peixe-agulha (Boulengerella maculata).

 

Matapiri (Ctenobrycon sp.).

 

Piau ou Aracu (Leporinus sp.1). Onívoro.

 

Piau ou Aracu (Leporinus sp.2). Onívoro.

 

Mocinha (Potamorhina altamazonica).

 

Cascuda (Psectrogaster amazonica).

 

Saburu (Steindachnerina sp.).

 

Sardinha (Triportheus sp.).

 

Gymnotiformes (Poraquê e Sarapó)

    São peixes de corpo muito alongado; Ausência de nadadeiras dorsais e pélvicas; Abertura branquial muito estreita; Muitos não apresentam nadadeira caudal e o pedúnculo caudal é semelhante a uma cauda de rato; Nadadeira anal muito longa; Ânus localizado na região anterior, próximo as nadadeiras peitorais; Apresentam órgãos elétricos.
 

Poraquê ou Peixe-Elétrico (Electrophorus electricus). Piscívoro.

 

Sarapó (Eigenmannia macrops).

 

Sarapó (Ramphichthys sp.).

 

Sarapó (Sternopygus macrurus).

Algumas publicações sobre Gymnotiformes:

Dimorfismo sexual em Siluriformes e Gymnotiformes (Ostariophysi) da Amazônia (download).

Fallen leaves on the water-bed: diurnal camouflage of three night active fish species in an Amazonian streamlet (download).

"Albert Lab" - Um site com várias publicações para download sobre Gymnotiformes!

 

Ordem Siluriformes

    Mandis, Surubim ou Pintado, Bode (Bodós ou Cascudos), Tamboatá, Candirú, Mapará, Gororoba, Bico-de-pato, Mandubé, Braço-de-moça e Cuiú-cuiú.

    Esses peixes não apresentam escamas sobre a pele, que é muita espessa e pode estar coberta por placas ósseas (São chamados de “peixes de couro”); Apresentam pares de barbilhões na maxila e na região inferior da mandíbula (Quimiorrecepção); Espinhos (Acúleos) no início das nadadeiras peitorais e dorsal; Vários tamanhos: De Candirús com 2 a 5 cm até Surubim com mais de 1 m; A maioria das espécies é carnívora.

Bocão ou Mandubé (Ageneiosus brevifilis). Piscívoro.

 

Pintadinha (Calophysus macropterus).

 

Pimpão ou Braço-de-moça (Hemisorubim platyrhynchus). Carnívoro.

 

Mapará (Hypophthalmus edentatus).

 

Mandim (Pimelodus sp.).

 

Mandim (Pimelodus sp.).

 

Gororoba (Pinirampus pinirampu). Onívoro.

 

Surubim ou Pintado (Pseudoplatystoma fasciatum). Piscívoro.

 

Bico-de-pato (Sorubim lima). Carnívoro.

 

Cangati (Trachelyopterus galeatus). Onívoro.

 

Cangati (Trachelyopterus galeatus) e sementes de frutos encontrados em conteúdo estomacal.

 

Candiru-açu (Cetopsis candiru). Carnívoro.

 

Tamboatá (Callichthys callichthys). Detritívoro.

 

Cuiú-cuiú ou Cuiú (Oxydoras niger). Onívoro.

 

Cuiú-cuiú ou Cuiú (Oxydoras niger). Onívoro.

 

Bacu (Pterodoras lentiginosus). Onívoro.

 

Bode-de-garra ou mãos-na-cabeça (Ancistrus sp.1).

 

Bode-de-garra ou mãos-na-cabeça (Ancistrus sp.1).

 

Bode-de-garra ou mãos-na-cabeça (Ancistrus sp.2).

 

Bode  (Bunocephalus aleuropsis) (English name = Banjo Catfish). Detritívoro.

 

Bode (Glyptoperichthys sp.). Detritívoro.

 

Bode (Hypostomus sp.). Detritívoro.

 

Bode-cachimbo (Loricaria sp.). Detritívoro.

 

Bode-tábua (Planiloricaria cryptodon). Detritívoro.

 

Bode-cachimbo (Rineloricaria sp.). Detritívoro.

Algumas publicações sobre Siluriformes:

Dimorfismo sexual em Siluriformes e Gymnotiformes (Ostariophysi) da Amazônia (download).

Free meals on long-distance cruisers: the vampire fish rides giant catfishes in the Amazon (download).

Taxonomy of the catfish genus Pseudoplatystoma Bleeker (Siluriformes: Pimelodidae) with recognition of eight species (download).

Karyotype variability in neotropical catfishes of the family Pimelodidae (Teleostei: Siluriformes) (download).

Fecundidade e tipo de desova do tamuatá, Hoplosternum littorale Hancock (Osteichthyes, Siluriformes) no Rio Curiaú, Macapá, Amapá (download).

New data on cistern catfish, Phreatobius cisternarum, from subterranean waters at the mouth of the Amazon River (Siluriformes, Incertae Sedis) (download).

A new subterranean species of Phreatobius Goeldi, 1905 (Siluriformes, Incertae sedis) from the Southwestern Amazon basin (download).

 

Ordem Beloniformes (Peixes-agulhas)

    São peixes com mandíbula alongada, na forma de uma agulha e as nadadeiras dorsal e anal estão localizadas na parte posterior do corpo. Vivem próximos a superfície e alimentam-se de insetos.

 

Ordem Cyprinodontiformes (Guppys ou Barrigudinhos)

    São peixinhos diminutos, com a boca voltada para cima; As escamas também se distribuem pela cabeça; Apresentam acentuado dimorfismo sexual, sendo os machos menores que as fêmeas e coloridos; Nadadeira anal do macho transformada em órgão copulador (gonopódio); Alimentam-se principalmente de larvas de Diptera.
    Ocorrem em igarapés urbanos e peri-urbanos em Cruzeiro do Sul (Provavelmente foram introduzidos).

Algumas publicações sobre Cyprinodontiformes:

Competência de peixes como predadores de larvas de Aedes aegypti, em condições de laboratório (download).

Aspectos reprodutivos de Poecilia vivipara (Bloch & Schneider) (Poeciliidae) da Lagoa Rodrigo de Freitas, Rio de Janeiro, Brasil (download).

 

Ordem Synbranchiformes (Muçum)

    São peixes serpentiformes; Abertura branquial única; Não possuem nadadeiras peitorais e pélvicas e as demais são atrofiadas; Corpo desprovido de escamas; São capazes de respirar o oxigênio do ar; Sobrevivem em charcos que secam, permanecendo enterrados na lama.

Mussum (Synbranchus marmoratus).

Algumas publicações sobre Synbranchiformes:

Surprising genomic diversity in the Neotropical fish Synbranchus marmoratus (Teleostei: Synbranchidae): how many species? (download).

Metabolic adjustments during semi-aestivation of the marble swamp eel (Synbranchus marmoratus, Bloch 1795) — a facultative air breathing fish (download).

 

Ordem Tetraodontiformes (Baiacú)

    Maioria marinhos, com poucos representantes na água doce. Como comportamento de defesa os baiacús podem inflar o corpo. Algumas espécies apresentam tetrodotoxina, uma potente neurotoxina, podendo causar intoxicações alimentares.

Baiacu (Colomesus asellus).

Algumas publicações sobre Baiacús:

Análise populacional do Baiacu, Colomesus psittacus (Tetraodontiformes, Tetraodontidae), no estuário o rio Caeté, Costa Norte do Brasil (download).

Envenenamento fatal por baiacu (Tetrodontidae): relato de um caso em criança (download).

Envenomation caused by the consumption of pufferfish liver (download).

Predação pelo bem-te-vi Pitangus sulphuratus (Passeriformes, Tyrannidae) no baiacu Colomesus asellus (Actinopterygii, Tetraodontidae) e camarão de água doce (Crustacea, Decapoda) (download).


Ordem Pleuronectiformes (Linguados e Soias)

     Apresentam assimetria, olhos localizados em um dos lados (juvenis são bilateralmente simétrico);  Lado superior do corpo pigmentado e o inferior esbranquiçado; Bentônicos.

Soia (Hypoclinemus mentalis) - Vista superior e inferior.

 

Soia (Hypoclinemus mentalis).

 

Ordem Perciformes

    Tucunaré, Acará, Jacundá (Olaia ou Sabão) e Pescada.

    Apresentam escamas ctenóides; Dorsal longa e raios duros; Espinhos pungentes nas nadadeiras dorsal e anal; Boca protátil; Linha lateral interrompida; Muitas espécies cuidam dos ovos e da prole, às vezes abrigando os filhotes na boca.

Carás.

 

Cará-ferrugem ou Acará-cupido (Biotodoma cupido).

 

Acará-de-asas ou Acará-boari (Mesonauta insignis).

 

Cará (Satanoperca sp.)

 

Cará.

 

Jacundá ou Olaiá ou Peixe-sabão (Crenicichla sp.). Carnívoro.

 

Pescada (Plagioscion sp.). Piscívoro.

 

Tucunaré (Cichla sp.). Piscívoro.

 

Bibliografia consultada

SILVANO, R.; OYAKAWA, O.; AMARAL, B. & BEGOSSI, A. 2001. Peixes do Alto Juruá (Amazonas, Brasil). EDUSP, São Paulo.

PÁGINA INICIAL FOTOS DE ANIMAIS TEXTOS SOBRE ANFÍBIOS E RÉPTEIS
CURRÍCULO ARTIGOS PARA DOWNLOAD LIVROS A VENDA