DICAS PARA ESCREVER SUA MONOGRAFIA OU TCC

Especialmente para acadêmicos de Biologia e áreas afins.

Por Paulo Sérgio Bernarde

 

    Aquele acadêmico que no início da graduação se interessa por uma determinada área e começa a realizar estágios, se fizer corretamente, terá poucos problemas nessa última etapa (requisito!) de sua formação como graduado. Aqueles que deixam para ir atrás disso no último ano, semestre ou meses de sua formatura, está literalmente a espera de um milagre e isso segundo a Ciência não existe!

    Elaborei essa página para auxiliar um pouco os acadêmicos a realizarem seus trabalhos científicos, em especial para os acadêmicos dos cursos de Ciências Biológicas e áreas afins. Para elaboração do TCC três passos são fundamentais e apresento algumas dicas em cada um deles: PRIMEIRO PASSO - A Ideia (Como ter ideias e encontrar artigos científicos!); SEGUNDO PASSO - O Projeto científico (Como escrever!); TERCEIRO PASSO - O TCC (Elaboração do TCC).

 

    PRIMEIRO PASSO (A ideia!)

    Primeiramente o aluno tem que ter uma ideia do que pode desenvolver como tema de seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e isso pode se originar a partir da leitura de artigos, livros, monografias, dissertações de mestrado, teses de doutorado e resumos de congressos. Importante também que aprendermos a escrever trabalhos científicos a partir deste tipo de leitura, compreendendo o que é escrito em cada parte dele (Título; Resumo; Introdução; Objetivos; Material e métodos; Resultados; Discussão; Conclusão; Referências bibliográficas).

    Então vamos atrás dos artigos científicos dentro da área de Saúde. O primeiro lugar na Internet para ser procurado é o Portal da Scielo.

    No Site da Scielo (em Português) clique em "periódicos lista alfabética" (Veja a seta vermelha indicando!) para aparecer a lista de revistas científicas:

    São 321 periódicos (revistas científicas) listados, destes 274 são títulos correntes (Que ainda estão sendo publicados!). Trata-se de uma biblioteca virtual e você precisa procurar pela prateleira onde tenha os periódicos de seu interesse (área de Saúde). É necessário dar uma filtrada para poder explorar melhor.Então clica em "periódicos assuntos":

    Agora é só clicar em "Assuntos CIÊNCIAS BIOLÓGICAS":

 

    Então você tem a lista de periódicos correntes na Área de Ciências Biológicas. Alguns deles como exemplo (Com seus links!):

Acta Botanica Brasilica
Acta Limnologica Brasiliensia
Anais da Academia Brasileira de Ciências
Biota Neotropica
Brazilian Archives of Biology and Technology
Brazilian Journal of Biology
Brazilian Journal of Microbiology
Brazilian Journal of Plant Physiology
Genetics and Molecular Biology
Iheringia. Série Zoologia
Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases
Memórias do Instituto Oswaldo Cruz
Neotropical Ichthyology
Papéis Avulsos de Zoologia
Revista Brasileira de Entomologia
Revista Brasileira de Plantas Medicinais
Zoologia

        São duas formas diferentes de você explorar essas revistas na "prateleira virtual".

    1) "Fuçando" na prateleira e nos fascículos!

    Uma delas seria através de pegar cada fascículo e "folhear" para ver os artigos. Essa forma é especialmente para quem ainda não tem uma ideia do que fazer em sua pesquisa. Ele vai vendo os títulos dos artigos e abrindo aqueles que chamar a atenção e pode ir salvando aqueles que achar interessante em uma pasta. O pesquisador tem que a cada pelo menos dois meses ver se tem um fascículo novo de um periódico que publica pesquisas de sua área e verificar se saiu algum artigo que pode ser útil. Se você estuda um determinado grupo animal, então tem que acompanhar revistas como Zoologia, Brazilian Journal of Biology, Iheringia e Biota Neotropical. Algumas são bem específicas como a Revista Brasileira de Entomologia (Insetos) e Neotropical Ichthyology (Peixes). Caso seja a área de Botânica que te interessa então são revistas como Acta Botanica Brasilica, Biota Neotropica e Brazilian Journal of Biology. Também tendo algumas específicas como a Revista Brasileira de Plantas Medicinais e Brazilian Journal of Plant Physiology (Fisiologia vegetal).

    Então você clica no link para um periódico de interesse Ex. Biota Neotropica) e depois clica em "números todos":


 

   Depois de clicar em "todos" irá abrir uma página contendo todos os fascículos disponíveis deste periódico. Não necessariamente todos os fascículos de uma revista estão disponíveis na Internet. No caso da Biota Neotropica verá que tem volumes desde o início de sua publicação (2001).

    Cada número corresponde a um fascículo e eles estão disponibilizados de acordo com o volume e ano correspondente de sua publicação. Vamos abrir então o Fascículo 2 do Volume 7 (Ano 2007) e ver os artigos que estão lá publicados:

     Dentre os artigos, vamos dizer que você se interessou por um (Ictiofauna dos trechos alto e médio da bacia do rio Tibagi, Paraná, Brasil). Então você clica em "pdf em português" para baixar o artigo no formato em pdf (Tem que ter o programa Adobe instalado no computador, senão tiver só procurar pelo Google e fazer a instalação!).

       Vamos aproveitar esse momento para duas dicas, uma sobre organização dos pdfs que você baixa e outro sobre referências bibliográficas!

    De nada adianta você ficar baixando pdfs de artigos se deixá-los na forma do nome de arquivo de download (Ex. Este ficaria com o nome a14v07n2.pdf) e todos colocados em uma única pasta de seu pendrive ou computador. Fica mais difícil encontrá-lo depois no meio de tantos. Então a dica é nomear este arquivo com algumas palavras do título que você possa identificar quando for abrir a pasta para procurá-lo. Exemplo para este: IctiofaunaMedioAltoBaciaTibagi-PR.pdf. Outra dica de organização é salvar os artigos em pastas diferentes de acordo com o tema do mesmo. Por exemplo : Peixes; Anfíbios; Répteis; Aves; Mamíferos; Aracnídeos; Insetos.

    Na figura abaixo apresento as pastas da área de Herpetologia (Estudo dos Anfíbios e Répteis) na forma que divido os pdfs que encontro em meu computador:

    Para ver alguns exemplos de "nomes de arquivos em pdf de artigos" veja a figura abaixo dos artigos na pasta de "Ofidismo":

    A segunda dica é sobre "Referências Bibliográficas". Então, lembra daquele artigo que encontramos no Fascículo 2 do Volume 7 do Periódico Biota Neotropica que era sobre  a Ictiofauna da bacia do rio Tibagi (PR)?! Caso ele fosse utilizado em seu TCC, como ficaria sua referência:

    Geralmente se coloca primeiramente o nome dos autores com seus nomes abreviados, depois o ano, título do artigo, nome do periódico (em negrito), número do volume, fascículo e das páginas. Ficaria assim então:

    SHIBATTA, O. A.; GEALH, A. M. & BENNEMANN, S. T. 2007. Ictiofauna dos trechos alto e médio da bacia do rio Tibagi, Paraná, Brasil. Biota neotrop. 7(2):125-134.

    Viram que o nome do periódico (Biota Neotropica) foi colocado de forma abreviada (Isso é permitido em algumas normas!). Cada revista científica que você for publicar ou Instituição de Ensino (de Graduação ou Pós-Graduação) ou Órgão que irá submeter seu projeto científico (CNPq, CAPES, algum CEP) terá suas normas e cada um destes um nível de chatice, digo, exigência.

    Alguns podem pedir os nomes completos dos autores, a cidade que o periódico é publicado e até o mês e pedir para que o ano vá no último lugar. Por isso, é só ter atenção ao ler as normas em cada situação. O professor de Metodologia da Pesquisa Científica ou de Comunicação Científica não fica dando tanta ênfase na parte estrutural de um trabalho científico (Pelo menos não deveria!) e sim em como fazer Ciência! Por outro lado, o acadêmico tem que se ligar ao básico de saber o que é formatar seu manuscrito quanto as margens, parágrafos, tamanho e tipo de letras e outras coisas. O pesquisador tem que aprender a formatar ou adequar seu manuscrito conforme as normas de cada revista ou Instituição. Vamos agora colocar a referência de outra forma:

    Shibatta, Oscar Akio; Gealh, Ana Maria; Bennemann, Sirlei Terezinha Ictiofauna dos trechos alto e médio da bacia do rio Tibagi, Paraná, Brasil. Biota Neotropica, Campinas v.7, n.2, pp. 125-134, 2007.

    Agora vamos para segunda forma de procurar artigos na Scielo:

2) Sistema de buscas no Portal Scielo!

    Vamos voltar naquela página onde estão listados todos os periódicos da Scielo!

    Você pode procurar por um autor que publique artigos sobre o tema que você tem interesse ou então você pode procurar pelo tema de interesse através do assunto.

    Vamos primeiramente procurar por autor, você irá utilizar o sobrenome. Clique então em "artigos - autor":

Utilizaremos o meu como exemplo "Bernarde", então escreva "Bernarde" dentro do espaço para busca e clique em "mostra índice":

    Verá nos resultados que teremos três opções para continuar a busca:

Bernarde

Bernarde, P. S.

Bernarde, Paulo Sérgio

     Para uma busca mais abrangente, procure escolher todas opções assim semelhantes que sejam ou possam ser do mesmo autor que procura artigos. Por exemplo, veja abaixo o número de artigos que encontraríamos em cada um dos nomes escolhidos:

Bernarde - 13 artigos.

Bernarde, P. S. - 1 artigo.

Bernarde, Paulo Sérgio - 12 artigos.

Neste caso, como exemplo, escolheremos apenas "Bernarde", clicando em cima deste nome (Veja que ficará azul quando selecionado!) e depois clique em "pesquisa":

    Verá que os resultados correspondem a 13 artigos que estão em duas páginas:

    Isso significa então que o autor tem apenas os artigos encontrados nesta busca? Não! A busca irá resultar apenas em artigos que foram publicados em periódicos científicos que estão na Base Scielo. Ficará de fora artigos publicados em periódicos internacionais e também em alguns periódicos que não fazem parte desta base (Veja por exemplo o que ficou de fora aqui!).

    Destes 13 artigos vamos escolher o de Bernarde & Gomes (2012) sobre os acidentes ofídicos em Cruzeiro do Sul (AC) para treinamento de escrever referências bibliográficas:

BERNARDE, P. S. & GOMES, J. O. 2012. Serpentes peçonhentas e ofidismo em Cruzeiro do Sul, Alto Juruá, Estado do Acre, Brasil. Acta Amazonica 42(1):65-72. (download)

    Vamos agora procurar por assunto. Abra então aquela página novamente e clique em "artigos - assunto":

    Vamos então procurar artigos sobre um determinado tema. Que tal Polinização que é um tema que abrange tanto as plantas como também animais em vários casos?! Digite então Polinização no espaço da busca e clique em "mostra índice":

    Agora escolha apenas a palavra "Polinização" selecionando-a e então clique em pesquisa:

    Os resultados desta busca são 167 artigos dispostos em 17 páginas:

    Se esse for realmente o tema de sua pesquisa, eu iria página por página escolhendo aqueles de interesse. Senão, você ainda pode refinar a busca através da combinação com outras palavras chaves. Vá na parte inferior da página e verá o exemplo. Insira "Insetos" e depois clique em "pesquisa":

    Agora com essa combinação (Polinização + Insetos) na procura os resultados foram reduzidos para 33 artigos!

    Vamos escolher um para treinamento, o primeiro que é de autoria de Nicodemo et al. (2009) sobre a polinização da abóbora (Cucurbita maxima Duch.) pela abelha-europa (Apis mellifera). Opa, o que é "et al."? É uma forma de você mencionar em um texto de que se trata de mais de dois autores. Praticamente todos aqui já sabem que os nomes científicos devem estar destacados no texto (Ex. em itálico!), se atentem que muitas revistas seguem a regra de quando se tratar do nome de uma espécie vegetal tem então que estar acompanhado o nome do autor que a descreveu (Ex. Bertholletia excelsa Bonpl.). Vamos ver essa referência para treino:

    NICODEMO, D.; COUTO, R. H. N.; MALHEIROS, E. B. & DE JONG, D. 2009. Honey bee as an effective pollinating agent of pumpkin. Scientia Agricola 66(4):476-480. (download)

    Poxa Prof. Paulo, esse artigo é interessante porque envolve a abelha-europa que faz parte de meu estudo, mas está em inglês! Meu caro aluno, sabe o que é inglês?! É uma língua que todos que quiserem fazer pesquisa terão que aprender, pelo menos a ler! Durante minha graduação não tinha condições financeiras para isso, a solução foi começar a traduzir todos os dias um "abstract" de algum artigo de interesse. Depois de um tempo, comecei a ler artigos em inglês com facilidade sem ter que recorrer a dicionários e sempre ser aprovado nos exames de proficiência em língua inglesa em processos seletivos para Mestrado. Então, compre um dicionário de bolso (Que custa menos que meia dúzia de latinhas de cerveja!) e comece já a fazer isso!

    Voltamos então a falar sobre a procura de artigos sobre polinização. Estes então são todos os artigos publicados sobre esse tema no Brasil?! Não! É o que encontramos no portal da Scielo brasileira. Existem outros portais para procura de artigos, especialmente com abrangência internacional e outros vários periódicos nacionais não estão na base Scielo.

 

    OUTROS PORTAIS PARA BUSCAS BIBLIOGRÁFICAS:



 

Links para alguns periódicos que publicam artigos na área de Ciências Biológicas e que não estão no Portal Scielo:

ACTA BIOLÓGICA PARANAENSE
AMERICAN MUSEUM OF NATURAL HISTORY
BIOCIÊNCIAS
BIOTA AMAZÔNIA
BIOTEMAS
BOLETIM DE LA ASSOCIACION HERPETOLOGICA ESPANOLA
CUADERNOS DE HERPETOLOGÍA
CHECK LIST - JOURNAL OF SPECIES LISTS AND DISTRIBUTION
CHIROPTERA NEOTROPICAL
HERPETOLOGICAL CONSERVATION AND BIOLOGY
HERPETOLOGY NOTES
MASTOZOOLOGIA NEOTROPICAL
NEOTROPICAL PRIMATES
SORA: Vários periódicos sobre Aves
PAN-AMERICAN JOURNAL OF AQUATIC SCIENCES
PHYLLOMEDUSA - JOURNAL OF NEOTROPICAL HERPETOLOGY
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA
REVISTA DE BIOLOGIA NEOTROPICAL
REVISTA BRASILEIRA DE BIOCIÊNCIAS
REVISTA BRASILEIRA DE ZOOCIÊNCIAS
REVISTA ESPANOLA DE HERPETOLOGÍA
SAM NOBLE OKLAHOMA MUSEUM OF NATURAL HISTORY OCCASIONAL PAPERS
 

    Continuando em busca da ideia!



 

Já vimos algumas formas de encontrarmos artigos e teses pela Internet. A partir da leitura "descompromissada" de alguns trabalhos em periódicos podemos ter uma ideia de algo similar que poderia ser desenvolvido ou então encontrarmos interesse por algum determinado tema (Inventariamento ou levantamento de um determinado grupo animal ou dos polinizadores que visitam determinada espécie de planta; Densidade populacional de uma determinada espécie de planta em uma floresta ou um levantamento fitossociológico; Inventariamento das plantas medicinais ou das árvores de interesse madeireiro em uma mata; Utilização de animais para fins zooterápicos em uma comunidade; Reprodução de uma espécie de ave; Comportamento de caça de um gavião; Espécies de peixes utilizados na pesca artesanal em um rio). A partir disso, você precisa:

1) Estudar sobre o tema em livros. Ex. Se for sobre jacarés, procure ler e conhecer bem a respeito desses animais (Desde a morfologia como a fisiologia, biologia reprodutiva e alimentar, ecologia, identificação, etc).

2) Ler artigos sobre pesquisas desenvolvidas sobre esse tema. Aqui então entra o levantamento bibliográfico:

- Nos portais de busca de periódicos.

- Fora dos portais também temos periódicos fora deles. Aqui vai uma dica do que faço para encontrar esses artigos: Vá no Google e digite uma das palavras chaves e escreva na frente dela "pdf". Assim aumenta a chance de encontrar algum artigo que não esteja em periódico da base Scielo. Ex. Acidentes ofídicos. Escrevo Acidentes ofídicos pdf. Na primeira página de resultados encontrei esse artigo de Sandrin et al. (2005) publicado na  Revista Investigações em Ensino de Ciências (download) que não está na Scielo:

- Outro portal de busca é o Google Acadêmico onde a busca é mais abrangente dos pdfs e você pode tanto usar o nome do autor como das palavras chaves de um tema:

- Assim que ter artigos em suas mãos (Ou na tela do seu computador! Procure imprimir aqueles de maior utilidade e que precisa acessar sempre!) leia as referências bibliográficas que foram citadas e aquelas que julgar ter certa importância procure pelo pdf na Internet.

- Procure também artigos de revisão sobre determinado assunto (tema, grupo de ser vivo, o que foi feito em uma determinada área geográfica), eles apresentam referências bibliográficas de todos ou então a maior parte dos trabalhos publicados sobre o tema. Exemplos de alguns:

    BERNARD, E.; TAVARES, V. C. & SAMPARIO, E. 2011. Compilação atualizada das espécies de morcegos (Chiroptera) para a Amazônia Brasileira. Biota Neotropica 11(1):35-46. (download)

    BERNARDE, P. S.; ALBUQUERQUE, S.; BARROS, T. O. & TURCI, L. C. B. 2012. Serpentes do Estado de Rondônia, Brasil. Biota Neotropica 12(3):1-29. (download)

     BOCHNER, R. & STRUCHINER, C. J. 2003. Epidemiologia dos acidentes ofídicos nos últimos 100 anos no Brasil: uma revisão. Cadernos de Saúde Pública 19(1):7-16. (download)

    SAZIMA, I. & SAZIMA, C. 2010. Cleaner birds: an overview for the Neotropics. Biota Neotropica 10(4):195-203 . (download)

    SAZIMA, I.; SAZIMA, C. & SILVA-JR., J. M. 2006. Fishes associated with spinner dolphins at Fernando de Noronha Archipelago, tropical Western Atlantic: an update and overview. Neotropical Ichthyology 4(4):451-455. (download)

    VANZOLINI, P. E. & CALLEFFO, M. E. V. 2002. A taxonomic bibliography of the South American snakes of the Crotalus durissus complex (Serpentes, Viperidae). Anais da Academia Brasileira de Ciências 74(1):37-83. (download)

   

    Tem que ficar atento que os artigos de revisão referenciam apenas publicações anteriores ao de sua publicação e que não necessariamente o artigo realizou um levantamento bibliográfico amplo ("exaustivo").

 

3) A IDEIA É VIÁVEL? (BOA?)
- Pensar, Refletir.
- Alguém já fez isso?
- A metodologia é de fácil desenvolvimento?
- Qual a contribuição dessa pesquisa?
- Discutir com alguém!

4) Você tem então uma pergunta ou uma hipótese, que pretende responder através da busca de resultados a partir do desenvolvimento de uma metodologia para isso!

5) Agora então vamos para o segundo passo (Escrever o projeto científico!).

 

SEGUNDO PASSO (O Projeto!)

    Para o desenvolvimento da sua pesquisa (Seja de Monografia ou TCC ou para concorrer a uma bolsa PIBIC ou outra coisa!) você irá precisar escrever um projeto científico. Não é nenhum bicho de 7 cabeças, caso você tenha até agora lido muito, mas lido muito mesmo vários trabalhos científicos.

    O corpo de um projeto científico geralmente se divide em:

TÍTULO
INTRODUÇÃO
OBJETIVO
MATERIAL E MÉTODOS
BIBLIOGRAFIA
CRONOGRAMA
ORÇAMENTO

    Para entender cada parte de um projeto científico é necessário ter muita leitura científica!

ESCREVENDO O PROJETO CIENTÍFICO:

1) TÍTULO:

    O título de um projeto científico (Assim como de qualquer trabalho científico!) deve ser, ao mesmo tempo, informativo e curto, ou seja, deve informar em poucas palavras do que trata o texto.

Alguns exemplos de títulos de artigos:

    Ambientes e temporada de vocalização da anurofauna no Município de Espigão do Oeste, Rondônia, Sudoeste da Amazônia - Brasil (Amphibia: Anura).
    Diet of the colubrid snake, Thamnodynastes strigatus (Günther, 1858) from Paraná state, Brazil, with field notes on anuran predation
    Diferenças na prevenção da Aids entre homens e mulheres jovens de escolas públicas em São Paulo, SP.
    Estudo soroepidemiológico da cisticercose humana em um município do Estado do Piauí, Região Nordeste do Brasil.
    Exposição humana ao metilmercúrio em comunidades ribeirinhas da Região de Tapajós, Pará, Brasil.
    Hábitos alimentares de serpentes em Espigão do Oeste, Rondônia, Brasil.
    Herpetofauna da área do Igarapé Esperança na Reserva Extrativista Riozinho da Liberdade, Acre – Brasil.
    Idade materna e síndrome de Down no Nordeste do Brasil.
    Influência de fatores socioeconômicos na contaminação por agrotóxicos no Brasil.
    Lagartos (Squamata: Lacertilia) em áreas de floresta e de pastagem em Espigão do Oeste, Rondônia, sudoeste da Amazônia, Brasil.
    Levantamento florísitico na Estação Ecológica do Tripuí, Ouro Preto, MG.
    Morfologia de esporos de pteridófitas do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil) Família: 2-Blechnaceae.
    Potencial alelopático de espécies de Pteridaceae (Pteridophyta).
    Serpentes peçonhentas e ofidismo em Cruzeiro do Sul, Alto Juruá, Estado do Acre, Brasil.
    Resistência do Aedes aeypti para inseticidas organofosforados no estado de São Paulo - Brasil.
    Uso do hábitat, atividade e comportamento de Bothriopsis bilineatus e de Bothrops atrox (Serpentes: Viperidae) na floresta do Rio Moa, Acre, Brasil.
    Utilização medicinal da secreção (“vacina-do-sapo”) do anfíbio kambô (Phyllomedusa bicolor) (Anura: Hylidae) por população não-indígena em Espigão do Oeste, Rondônia, Brasil.
Vertebrados Atropelados na Rodovia Estadual 383 em Rondônia, Brasil.

2) INTRODUÇÃO:

    Na Introdução o pesquisador pode demonstrar que apresenta domínio sobre o tema que será pesquisado, que leu e conhece muito sobre o assunto e domina a arte de escrever e expor suas ideias. A introdução deve, invariavelmente, fazer referência a trabalhos científicos (artigos, livros, teses, capítulos de livros).

Na Introdução você tem que:

- Contextualizar a pesquisa apresentada no texto.

- Passar o conhecimento ao leitor sobre os conceitos abordados no trabalho.

- Despertar o interesse do leitor pelo seu trabalho ("Vender seu peixe").

    De acordo com as normas exigidas para apresentação do projeto, a Introdução pode estar dividida em algumas seções como Problematização e Justificativa. Se não estiver, então essas serão as partes do que irá escrever na Introdução.

    Problematizar é trazer a tona uma abordagem contextualizada sobre o tema do projeto. O leitor tem que ver que o autor do projeto tem conhecimento prévio sobre determinado assunto e o problematizar é fazê-lo ver o conhecimento por um outro ângulo. Na Introdução é apresentado o assunto de sua pesquisa. Se for uma doença ou outro agravo à saúde deve escrever quem é o agente etiológico (causador) ou descrever as circunstâncias que ocorre. Apresenta-se dados epidemiológicos como a incidência mundial, no país, na região, no estado e no município de tal agravo à saúde. Pode explorar também alguns aspectos de sua ocorrência ou transmissão, tratamento e possíveis desfechos. Sempre citando as referências bibliográficas que estão contidas essas informações. Em se tratando de um ser vivo, pode escrever sobre sua distribuição geográfica, ocorrência, determinadas particularidades e estudos já desenvolvidos.

    Na Justificativa você enfatiza a importância de sua pesquisa. Você pode abordar aspectos como: a escassez de estudos sobre o assunto ou grupo de ser vivo ou no bioma ou unidade geográfica da área de estudo; a importância (ecológica, econômica ou de Saúde Pública) de determinado grupo ou espécie animal; a raridade ou status de ameaça de extinção  da espécie animal ou do bioma ou unidade de conservação onde localiza-se a área de estudo; a possível contribuição que os resultados e conclusões da pesquisa pode gerar.

 

3) OBJETIVO:

    É nesta parte que estarão explícitas as perguntas que o seu estudo se propôs a a responder.

Geralmente é dividido em Objetivo Geral (Em uma frase você escreve de forma ampla o que será feito!) e Objetivos específicos (Descreve minuciosamente cada questão que pretende responder em seu estudo!).

 

4) MATERIAL E MÉTODOS:

    Tem como objetivo prover ao leitor todos os dados necessários, de forma sucinta, para que ele entenda os procedimentos adotados em seu trabalho. Assim, você deve expor tudo que for necessário para que outro pesquisador possa replicar seu estudo. Nessa parte também é colocado o período em que o estudo será desenvolvido (Mais detalhes serão informados no Cronograma!).

    Para que tais propósitos sejam atingidos, qualquer informação que possa ter tido influência na obtenção dos seus resultados devem ser mencionada neste item. Exemplo: A descrição da área ou região de estudo; eventuais alterações nas metodologias geralmente utilizadas; equipamentos utilizados; forma de escolha dos participantes ou entrevistados; obtenção dos dados; forma que a entrevista foi conduzida.
Isto serve para que o leitor:
- entenda o que foi feito.
- possa analisar mais criticamente os resultados obtidos.
- se assim desejar, reproduza seus resultados.

    Defina bem sua metodologia do que pretende fazer e é interessante fazer uma amostragem piloto de um mês em alguns casos para você readequar algumas coisas que não estavam previstas. Na teoria é uma coisa, a prática é outra e somente no início da coleta de dados que você poderá descobrir essa diferença. Portanto, se você pretende que seu estudo dure um ano, programe ele para 13 meses para testar primeiro os métodos em campo. E é fundamental também que conheça a área de estudo e seus ambientes antes de elaborar o projeto.
 

5) BIBLIOGRAFIA:

    O projeto científico faz referência a outros textos científicos (artigos, livros, teses, capítulos de livros, etc). È nessa seção que você escreve todas as referências bibliográficas que foram citadas na Introdução e no Material e métodos.

 

6) CRONOGRAMA:

    Aqui você apresenta o cronograma de execução de sua pesquisa.
 
Exemplo de uma forma de expor um cronograma simples:
1º ANO (Outubro de 2013 a Setembro de 2014)

ATIVIDADES ¯    /   MESES ®

O

N

D

J

F

M

A

M

J

J

A

S

Coleta de dados

 X

 X

X

 X

 X

X

 

 

 

 

 

 

Atividades de laboratório

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

 

 

Registro e análise de dados

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

Descrição das atividades:
1) Coleta de dados: Expedições para coleta herpetológica no Parque Nacional da Serra do Divisor.
2) Atividades de laboratório: Sacrifício e fixação de espécimes. Retirada de tecidos para estudos moleculares. Identificação das espécies. Estudos taxonômicos.
3) Registro e análise de dados: As informações de coleta são transferidas para o livro-tombo e também para arquivos digitais. Começa-se a avaliar a riqueza, curva de coletor e composição de espécies em cada localidade.
 


7) ORÇAMENTO:

    Aqui você apresenta o orçamento de seu projeto caso seja solicitado.

    O Orçamento é dividido em Material Permanente (equipamentos em geral, livros), Material de Consumo (reagentes, combustível), Serviços de Terceiros (Contratação de serviços temporários), Passagens e Diárias.

Exemplo de uma forma de se apresentar o orçamento de um projeto:

 

MATERIAL

Quant.

Unid.

Valor Unitário

Valor Total

 

MATERIAL DE CONSUMO

 

 

 

 

MC

Tambor com tampa em rosca 50L

4

Un

180,00

720,00

MC

Tambor com tampa em rosca 20L

4

Un

80,00

320,00

MC

Tambor com tampa em rosca 10L

4

Un

50,00

200,00

MC

Pilhas AA (alcalina) (embalagem com 2 unidades)

120

Un

5,00

600,00

MC

Gasolina para canoa – Resex Riozinho da Liberdade

30

Lt

3,50

105,00

MC

Gasolina para voadeira – ParNa Serra do Divisor

240

Lt

3,50

840,00

MC

Gasolina – Automóvel para Mâncio Lima e Resex Liberdade

37

Lt

3,50

129,50

MC

Álcool

100

Lt

5,00

500,00

MC

Formol 40%

20

Lt

12,00

240,00

MC

Éter 1000ml

4

FRA

120,00

480,00

MC

Microtubos tipo Eppendorf (pacote com 500)

1

UN

40,00

40,00

MC

Rotulador manual

4

UN

80,00

320,00

MC

Fita para rotulador manual

50

UN

8,00

400,00

MC

Lona plástica

400

Mt

2,00

800,00

MC

Lanterna de Cabeça Petzl Myolite3

6

Un

350,00

2.100,00

MC

Grampeador de tapeceiro

2

Un

50,00

100,00

MC

Grampos

4

Cx

10,00

40,00

MC

Baldes plásticos com tampa 100L

40

Un

80,00

3.200,00

 

Subtotal Material de consumo

 

 

 

   11.134,50

 

SERVIÇOS DE TERCEIROS

 

 

 

 

ST

Aluguel de barco (Canoa) e barqueiro – Resex Liberdade

4

Diária

100,00

400,00

ST

Aluguel de barco (Voadeira) e barqueiro – PNSD

10

Diária

190,00

1.900,00

ST

Construção de armadilhas de interceptação e queda

24

Diária

50,00

1.200,00

ST

Manutenção de armadilhas de interceptação e queda

6

Diária

50,00

300,00

 

Subtotal de Serviços de terceiros

 

 

 

3.800,00

 

PASSAGENS

 

 

 

 

PA

Cruzeiro do Sul para Porto Walter (Lancha)

6

Un

80,00

480,00

 

Subtotal de Passagens

 

 

 

480,00

 

DIÁRIAS

 

 

 

 

DI

Diárias

13

Diária

187,83

2.441,79

 

Subtotal de Diárias

 

 

 

2.441,79

 

 

 

 

TOTAL GERAL

17.856,29

 

     Depois que seu projeto está escrito você ainda talvez terá que enviá-lo para um Comitê de Ética em Pesquisa caso envolva seres humanos diretamente ou então para outros órgãos específicos de acordo com o tema de sua pesquisa (Por exemplo: Coleta de animais precisa ter uma licença do SISBIO; Para se trabalhar com indígenas precisa de uma autorização da FUNAI/ Acesso ao "Saber tradicional" requer uma outra licença no CGEN). Aí para isso precisa acessar os Sites desses órgãos e também conversar com o orientador sobre os procedimentos.

    Para aqueles que irão desenvolver estudos em campo com animais recomendo a leitura do livro "Uma orientação ao estudo do comportamento animal." de Kleber Del-Claro: (download)



 

TERCEIRO PASSO (O TCC!)

    Nessa etapa você praticamente já desenvolveu sua pesquisa, coletou e analisou seus dados e discutiu as informações obtidas e chegou a determinadas conclusões. Agora precisa escrever isso, seja um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Monografia, Relatório Científico ou outra coisa.

    Como você já leu tantos artigos até agora, escreveu seu projeto, comparou seus resultados com outros estudos desenvolvidos, então esperamos que você esteja bem familiarizado com o que tem pela frente: Expor sua pesquisa através da linguagem escrita para que todos possam apreciar. A qualidade e mérito de um trabalho estão associados com o objetivo que o estudo foi desenvolvido. Por isso que o acadêmico tem que se dedicar em procurar fazer algo que realmente contribua para a Ciência nem que seja apenas para a região e não exclusivamente com o propósito de que precisa apresentar um TCC para concluir sua graduação.

    Novamente enfatizo a importância da leitura de artigos para aprender a escrever seu trabalho científico!

O TCC poderá estar dividido nas seguintes seções:

TÍTULO
RESUMO
ABSTRACT
INTRODUÇÃO
OBJETIVO
MATERIAL E MÉTODOS
RESULTADOS
DISCUSSÃO
CONCLUSÃO
AGRADECIMENTOS
BIBLIOGRAFIA

 

ESCREVENDO O TCC:

1) TÍTULO:

    Já foi falado sobre isso em "Escrevendo o Projeto Científico"!


2) RESUMO:

    O Resumo deve conter aproximadamente 25% da Introdução (Incluindo o objetivo do estudo!), 25% do Material e métodos, 25% dos Resultados e 25% da Discussão e Conclusão. Para cada Instituição e revista teremos as normas em relação ao número de páginas (Geralmente apenas 1 página no máximo!) e palavras ou caracteres (com espaço ou não!) que o Resumo pode conter. Aqui você tem que demonstrar sua capacidade de resumir, de sintetizar seu trabalho. Uma dica para quando for enviar um resumo para algum evento científico e lá tem o número de caracteres que pode ter no máximo o trabalho é que tem uma ferramenta do Word que verifica isso. Se você não sabe fazer isso passou da hora de tomar vergonha na cara e ir aprender o básico em computação (Montar seu perfil no Facebook você sabe né?!).

    Dentre algumas regras na elaboração de um Resumo é fundamental saber que nele não vai nenhuma referência bibliográfica.


3) ABSTRACT:

    Aqui é praticamente o Resumo traduzido para o inglês. É o seu trabalho, portanto não vá simplesmente colocar o Resumo em um tradutor online e traduzir, copiar e colar no seu TCC! Se não sabe escrever em inglês pague uns trocados para alguém que realmente saiba fazer isso. E depois leia com atenção porque algumas palavras podem deixar uma frase fora de contexto.


4) INTRODUÇÃO:

Já foi falado sobre isso em "Escrevendo o Projeto Científico"!


5) OBJETIVO:

Já foi falado sobre isso em "Escrevendo o Projeto Científico"!


6) MATERIAL E MÉTODOS:

Já foi falado sobre isso em "Escrevendo o Projeto Científico"!


7) RESULTADOS:

    Essa é a parte (Seção!) mais importante praticamente da sua pesquisa. É aqui que você vai apresentar as informações obtidas em seu estudo e que será a base para a Discussão e Conclusão.
    Se segura, por mais tentador que seja a vontade de começar a discutir e interpretar os dados, não é aqui que isso será feito e sim na próxima seção (Discussão). Aqui você se limita apenas a apresentar seus resultados sem discuti-los de forma alguma.

    Os Resultados são apresentados em forma de texto e também por meio de tabelas, gráficos, fotografias, esquemas e outros tipos de figuras. No Excel é possível elaborar vários tipos de figuras e gráficos. Se você não sabe, já sabe: Passou da hora de saber! Procure alguém para te ensinar! Até alguns testes estatísticos podem ser feitos no Excel.
    Todas as figuras e tabelas incluídas nos Resultados devem ser mencionadas no texto. 
 


8) DISCUSSÃO:

    Nesta seção os resultados são:
- interpretados e interligados entre si.
- arranjados de forma a chegar às suas conclusões.
- comparados com outros estudos realizados (artigos e teses).

 
9) CONCLUSÃO:

    Nessa parte você deve resumir as principais conclusões que obteve a partir dos seus resultados e discussão. Pode também sugerir novos trabalhos para serem feitos com o tema.


10) AGRADECIMENTOS:

Quem ajudou (a ter acesso a determinadas informações ou a coletar dados)!
Quem patrocinou!
Bolsas.
Instituições.
Quem leu o manuscrito e deu sugestões!
 

11) BIBLIOGRAFIA:

Já foi falado sobre isso em "Escrevendo o Projeto Científico"!

    Isso tudo foram apenas dicas, o aprofundamento e a assimilação depende exclusivamente de você! Espero que as informações dessa página tenha alguma utilidade para você e parabéns pelas conquistas em sua vida acadêmica, em especial a conclusão de seu TCC!

    O melhor conselho que dou é este abaixo: "Nunca desista!"


 

    Quem tiver interesse em saber sobre meus livros disponíveis para venda é só clicar nas imagens deles abaixo:

    Adquira os três livros juntos na promoção da Anolis Books por 215,00 Reais com o frete grátis:

Gostou do Site?! Clique "Curtir" na Página Herpetofauna do Facebook e veja novidades: HERPETOFAUNA

PÁGINA INICIAL FOTOS DE ANIMAIS TEXTOS SOBRE ANFÍBIOS E RÉPTEIS
CURRÍCULO ARTIGOS PARA DOWNLOAD LIVROS A VENDA